Livro de Rua entrevista as “Alquimistas da Palavra”

Livro de Rua entrevista as brilhantes contadoras de histórias,  Deka  Teubl  e  Sonia Sampaio, as  “Alquimistas da Palavra

 1-     Como surgiram as “Alquimistas da palavra”? Conte Como começou o “namoro” com as histórias?

 1-     Sonia: Desde criança, sou apaixonada por livros e, aos 5 anos, li Monteiro Lobato.

Há cinco anos, me apresentei aos membros da Associação dos Amigos da Biblioteca de Botafogo (aabb), conheci Deka, que estava presente. Contei algumas histórias e daquele momento até hoje, veio crescendo, cada vez mais, a nossa amizade. Logo começamos a estudar, pesquisar histórias e escrever projetos de Contação de Histórias: O Contador de Histórias, Os Contos Maravilhosos, Os Contos e seus Encantos: de Basile a Lobato, Saboreando as Palavras e temos alguns “no forno”.

Formamos, então, a dupla As Alquimistas da Palavra.  Formadas em Letras, Deka em SP e eu aqui no Rio, fomos professoras durante muitos anos e descobrimos semelhanças nas nossas formas de atuar. Apaixonadas pela literatura, já contávamos histórias para os nossos alunos. Num belo dia, assisti a um programa na TV, em que a contadora de histórias Benita Prieto  foi entrevistada pela jornalista Leda Nagle. Apaixonei-me pela contação de histórias e, antes mesmo de me aposentar, já estava contando histórias e participando de Oficinas de Contação de Histórias.

. Deka: quando pequena, ouvia muitas histórias de uma das minhas irmãs mais velhas e, as preferidas, eram tiradas de Reinações de Narizinho de Monteiro Lobato. Quando aprendi a ler, este foi o meu primeiro livro. A seguir, li todos os infantis deste maravilhoso autor. Torne-me amiga dos livros e sabia que, quando crescesse faria Letras. Professora normalista, lecionei para alunos a partir da 5ª.série até estudantes universitários. Li muitos autores brasileiros e estrangeiros e transmitia, aos alunos, a paixão pelas narrativas literárias. Contava histórias para alunos pequenos e grandes.

2-     Falem um pouco sobre a origem da atividade de contar histórias e sua prática nos dias de hoje.

2.Sonia: a atividade de contar histórias é milenar! Antes mesmo de ter a sua escrita, o homem já contava histórias.  Em seu livro “A Arte de Ler e Contar Histórias”, (TAHAN, Malba. Rio de Janeiro, 1964) o escritor já mostrava a importância de se lerem e contarem histórias para crianças na escola, no antigo Curso Primário.

Deka: Atualmente, há muitas pessoas que trabalham com contação de histórias: participam de Oficinas de Contação de Histórias, dão Oficinas, fazem sessões para crianças, jovens e adultos e dão cursos, também.

No Brasil, em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Santa Bárbara D’Oeste, Belo Horizonte, Florianópolis, etc, vem crescendo o interesse das pessoas por esta atividade.

Muitas escolas primárias, hoje em dia, têm uma sala reservada para leitura de narrativas e, aos poucos, nelas tem sido introduzido o contador de histórias.

3-     Nas suas opiniões, qual o papel da contação de histórias na formação dos leitores?

Sonia e Deka: Muitos contadores de histórias, quando terminam a sua narrativa, dizem o título e o nome do autor. Quando fazemos sessões para crianças, jovens e adultos, sempre mostramos os livros. Neste sentido, ouvir histórias é muito importante para a formação de leitores de qualquer idade. Terminada as sessões realizadas para crianças, como é gostoso olhar para elas que olham cada página, com muita curiosidade. Ficam namorando as ilustrações  saboreando as histórias.

Em nossas Oficinas, damos primeiramente a Bibliografia pertinente aos temas que serão desenvolvidos, possibilitando, aos participantes, a descoberta de muitos escritores.

4-     Teria alguma maneira de melhorar as atividades dos contadores de histórias, incentivos governamentais, projetos de lei e etc…

Sonia e Deka: As prefeituras e os governos poderão pagar projetos de contadores de histórias e os implantar em espaços culturais e escolas, oferecendo cursos, oficinas, sessões gratuitas para a população. Isto poderá ser um grande passo para a educação das pessoas. Como disse Lobato: “Um país se faz com homens e livros”.

5-     Deixe um recado para o Livro de Rua e passem sua programação de cursos e atividades.

Sonia e Deka: É muito importante o trabalho que o Livro de Rua faz, montando bibliotecas em escolas, lanchonetes, igrejas, centros comunitários, etc. É uma forma bonita e inteligente de proporcionar, às pessoas, que os livros cheguem às suas mãos. Parabéns pela iniciativa!

             “Saboreando as Palavras”

Local: Biblioteca de Botafogo “Machado de Assis” / RJ

. Datas: 14 e 28 de abril de 2010 (quartas-feiras)

. Horário: das 14:00  às 17:00 horas

 O Contador de Histórias

. Local: Centro Cultural Justiça Federal – RJ

  Av. Rio Branco, 241 – (térreo) – Centro / Rio de Janeiro

. Dias: 10 e 17 de abril de 2010 (sábados)

. Horário: das 14:00 às 18:00 horas

. Inscrições:

  Sonia Sampaio: (21) 2551-3572 / sonia.sampaio@oi.com.br

  Deka Teubl     : (21) 3237-7237 / dekateubl@yahoo.com.br

Anúncios

2 Respostas

  1. Quero fazer curso com vcs! bjsss AGUARDO!

    • Concordo c Monteiro Lobato e o trabalho de vcs é maravilhoso! Sempre contava histórias p meus filhos qdo crianças! Isso é muito importante p o desenvolvimento intectual e emocional! Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: