Livros e histórias encantam crianças em Caxias

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Projeto Livro de Rua marcou mais um ponto em seu propósito de democratizar e proporcionar o acesso à leitura em regiões menos favorecidas. Na última quinta-feira (26 de agosto), os voluntários Vanessa Cortes, Bruna Patrocinio e Henrique Silveira levaram alegria a 25 crianças da rede municipal de ensino de Imbariê, Duque de Caxias, Baixada Fluminense.

Ao chegarem à Casa Brasil, às 9h, a criançada deu de cara com 80 livros espalhados pelo chão, para que folheassem e lessem à vontade, num clima de total liberdade. O encantamento foi geral e as surpresas não pararam por aí. Uma ‘sessão de cinema’, com a exibição de histórias clássicas, que fazem parte do imaginário infantil, também empolgou. 

Em seguida, a voluntária Thatyane coordenou uma atividade dinâmica, contando histórias e orientando a produção de um mural onde as crianças puderam expressar seu entusiasmo em relação ao projeto. O mural foi levado para sua unidade escolar. Passadas três horas, elas nem sentiram o correr do tempo e as atividades deixaram um gostinho para todos de BIS!

A Casa Brasil faz parte de um projeto do governo federal de levar Cultura para a periferia das cidades, sendo a única unidade na região metropolitana do Rio de Janeiro. A parceria com o Livro de Rua mostrou o quanto atividades como esta contribuem para a formação dos alunos da rede pública.

Por: Yolanda Stein

Anúncios

DEMOCRATIZANDO A LEITURA


Andando de bicicleta pela orla de Copacabana, esbarrei com algumas prateleiras cheinhas de livros banhadas pela luz da bela tarde de domingo. Parei na hora: “-Oba, um sebo!”. Não era uma feira promovida por livrarias ou shoppings, nem o lançamento de algum best seller. Eram os militantes do projeto Livro de Rua, distribuindo livros para os passantes, isso mesmo… Oferecendo romances, contos, ensaios, poesia… Sem nada pedir em troca. Fiquei deslumbrada, lamentei não ter saído com minha câmera para registrar o “inusitado” evento!

O projeto Livro de Rua é baseado em um movimento internacional chamado Bookcrossing, criado em 2001. A idéia é libertar  livros que estão se empoeirando em nossas estantes. Não há dúvidas quanto ao espírito solidário de democratização da leitura e formação de novos leitores. O presidente do Instituto Ciclo do Brasil, fundado por jovens ligados ao movimento estudantil, Pedro Gerolimich concorda e vai além… Quando começaram a implementar suas ações, perceberam que havia uma tendência muito forte à elitização… Aqui no Rio de Janeiro o movimento Bookcrossing, ficava praticamente restrito às áreas mais nobres da cidade. Segundo Pedro Gerolimich, a ideia era super bacana, mas poderia ser feito um pouco mais: a meta era levá-la para as regiões que realmente precisavam de acesso à leitura.

Com esse objetivo, criaram o Livro de Rua, utilizando a filosofia do Bookcrossing, porém agregaram um diferencial. Buscaram parcerias com essa mesma “área mais nobre” da cidade, recebendo um grande volume de doação de livros, que, em seguida, disponibilizaram para os leitores mais carentes.

Desde seu lançamento, em 2008, no Município de Duque de Caxias, seus idealizadores sentiram a necessidade de estabelecer pontos permanentes, chamados de Bibliotecas da Liberdade mas, em nada semelhantes aos espaços de leitura convencionais. Baseados em pesquisas e dados estatísticos chegaram à preocupante conclusão que no Brasil, somente 30% da população freqüenta bibliotecas, com mínima regularidade. Levantou-se, portanto a questão: Para que construir mais bibliotecas, se as pessoas não irão freqüentá-las? Em mais um gesto inovador montaram bibliotecas em pizzarias, lan-houses,  hospitais, enfim, estabeleceram até o momento, oito Bibliotecas da Liberdade: seis no Rio de Janeiro e duas em Belo Horizonte. Estrategicamente localizadas, buscando alcançar a população em seus lugares de trabalho e lazer. O que, também mudou radicalmente foi a rotina de empréstimos, com datas pré determinadas e multas diárias por atraso na devolução dos livros. Tudo isso é coisa do passado para eles. Não há controle para retirada de livros nem limite de quantidade, fichas de usuários, recadastramentos periódicos, renovação de carteirinhas… É, revolucionário, no sentido de que toda a estrutura administrativa de uma biblioteca tradicional, simplesmente, pulverizou-se… É pegar e levar! A única regra fundamental é que, após a leitura, o livro não se torne cativo de uma estante. E não para por aí! Idealizaram, também, projetos itinerantes, vitais para a democratização da leitura. O último aconteceu no dia 30 de junho, na Central do Brasil, onde foram distribuídos mais de mil livros para as pessoas que retornavam à suas casas. A leitura para todos é o principal objetivo!

O desafio é estimular a mudança de hábitos nos leitores de não acumular livros nas estantes e cabeceiras, porque acreditam que o livro é um patrimônio da humanidade!

Você pode fazer parte desse projeto. Basta dar uma olhadinha mais humana para suas prateleiras e perceber que é importante compartilhar com outras pessoas, tantas histórias que se calam por baixo da poeira do esquecimento.

Site: www.livroderua.com.br
Blog: https://livroderua.wordpress.com/
e-mail: ciclosdobrasil@ciclosdobrasil.org.br

Fonte: http://www.mulheresdeopiniao.com.br

Ação Cultural – Casa Brasil

Na quinta feira dia 26/08 das 9 às 12 horas, ocorrerá na Casa Brasil de Imbariê – Duque de Caxias nossa segunda Ação Cultural Literária, que contará com as seguintes atividades: Libertação de Livros, Contação de Histórias, Exibição de Curtas, Produção de Mural e muito mais…

Vale a pena Conferir!!

A OPINIÃO DAS MULHERES

Mulheres preparem-se. No próximo dia 20 estará no ar uma revista eletrônica que lança um olhar feminino sobre temas variados, como cultura, moda, gastronomia, entretenimento, entrevistas. O site Mulheres de Opinião está saindo do forno com notícias quentes e comentadas de maneira informal, além do toque pessoal das escritoras Joana Cabral, Eliane Raye e Janaina Rico. O foco são os novos talentos que nem sempre contam com o merecido espaço na mídia. O lançamento será sábado (21 de agosto) na Estação das Letras.

A iniciativa começou como uma brincadeira das três – coincidentemente oriundas de Brasília e radicadas no Rio – e resultou numa empreitada de fôlego, costurada em quatro meses de intenso trabalho. De saída, uma entrevista com a cronista Martha Medeiros, uma abordagem sobre vampiros no cinema, de Drácula à Eclipse, um texto sobre Chopin e, para amenizar, a última tendência do calçadão de Ipanema aos domingos: ‘cãozinho na coleira’.

E tem mais uma novidade que promete: um espaço para webnovelas, resgate dos velhos folhetins em linguagem moderna, de 10 capítulos cada uma. As crianças não foram esquecidas: Nina, filha de Joana, de 6 anos e que faz teatro desde os 3, será repórter-mirim.

Homens fiquem atentos, então, porque mulheresdeopiniao.com.br está chegando e vocês também podem ter uma.

Por: Yolanda Stein

BIENAL DO LIVRO APOSTA NOS JOVENS

Este slideshow necessita de JavaScript.

A 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que termina no próximo domingo, dia 22 de agosto, aposta em cabeças coroadas da literatura infanto-juvenil para atrair visitantes mais jovens. Faz parte da programação a visita de 180 mil estudantes do ensino fundamental e médio, parte do público estimado pela organização do evento em 700 mil pessoas.

Num pavilhão de 60 mil m², 350 expositores nacionais e estrangeiros mostram as novidades do mercado editorial, marcado por lançamentos de importantes autores. Na linha jovem destacam-se o escritor irlandês John Boyne, autor do best-seller O Menino do Pijama Listrado, que conquistou 5 milhões de leitores no mundo e uma adaptação para o cinema. Seu novo livro voltado para o público jovem, um conto de fadas, só deve chegar ao mercado brasileiro em 2011. Na Bienal ele lançou O Palácio de Inverno.

Outra estrela assediada, o norueguês Josten Gaarder, autor  do também best-seller O Mundo de Sofia, lança o Castelo nos Pirineus. Ambos participam, ao lado de outros autores consagrados, de palestras e debates.

Embora as Bienais tenham se transformado em uma grande feira de negócios para as megalivrarias, o que tem afugentado parte do público, não há dúvida de que a presença  de autores famosos e a grande oferta de livros, além dos lançamentos, fazem do evento um marco importante para a difusão da cultura no país.

Por: Yolanda Stein

Leitura nas eleições 2010

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

O menino olha o livro, mira-o e parte em sua direção. Alguém lhe deu o livro num momento de sua vida, apresentou-lhe a história e hoje ele mergulha no rico universo da literatura. Um encontro maravilhoso, repleto de descobertas e possibilidades, que serão aumentadas com outras leituras. Pois é, bom que o menino foi apresentado aos livros e desenvolveu o hábito da leitura, pois muitas pessoas não tiveram a mesma sorte dele. Sorte não, oportunidade. O fato é que existem medidas concretas de incentivo a leitura que devem ser colocadas em prática e a sociedade civil precisa cobrar dos governos a sua implementação. Por exemplo, o que os candidatos às eleições de 2010 pretendem fazer pela leitura? Eles conhecem o Plano Nacional do Livro e da Leitura? Pergunte a eles.
O Plano Nacional do Livro e da Leitura (PNLL) é um conjunto de projetos, programas, atividade e eventos na área do livro, da leitura e bibliotecas em desenvolvimento no país, empreendidas pelo Estado e pela Sociedade Civil. Para que o PNLL atinja seus objetivos e promova avanços significativos na área da leitura, são necessários quadros políticos que conheçam o tema e dediquem seus mandatos a desenvolvê-los.
Numa época de debates políticos fracos e discursos vazios, onde o marketing do candidato é mais importante que suas idéias, cabe a sociedade civil pautar o debate e dizer quais são suas preocupações e reivindicações.
Por isso, democratizar a leitura é importante e colocar o tema nas eleições de 2010 também. O envolvimento do maior número de pessoas colocando a leitura no centro do debate, conversando com os familiares, amigos, em casa, no trabalho, na igreja e nas reuniões políticas, dará força ao movimento e sua presença na opinião pública. O desafio está posto. Quem topa?

Saiba mais sobre o Plano Nacional do Livro e da Leitura no sitehttp://www.vivaleitura.com.br/pnll2/default.asp

Por: Henrique Silveira

Festa Literária Internacional de Paraty 2010

A Flip, chega à sua 8a. edição já estabelecida como um dos mais importantes eventos culturais de Paraty e do Brasil. Sua programação não se restringe apenas às palestras. Acontecem também a Flipinha, a FlipZona, a programação da Casa da Cultura, a Off FLIP, shows, apresentações de teatro, lançamento de livros…

Viva a Festa Literária de Paraty!

No site da Flip você vai poder encontrar tudo desde a programação até acompanhar as mesas de debate ao-vivo!

Tudo pelo Site http://www.flip.org.br
O site é atualizado diariamente!

Não fique fora dessa entre e Confira!!!

%d blogueiros gostam disto: