Entrevista com Marcelo Guedes – Coordenador do Livro de Rua em São Paulo

– Guedes, conte um pouco do seu perfil ( formação, trabalho, hobbies e etc…)

Formei-me em administração de empresas com enfoque em marketing e trabalhei como gestor comercial em  emissoras de rádio e televisão. Hobbie viajar, caminhar e lêr, sendo esta última meu grande prazer ultimamente

– Fale um Pouco sobre como surgiu a idéia de lançar o Livro de Rua em São Paulo:

Pelo fato de ver como a leitura esta pouco difundida e pesquisando sobre ações com livros, achei o Livro de Rua no Rio de Janeiro e gostei da proposta. Daí me informei para ativar a ação em São Paulo.

– São Paulo é uma cidade metrópole, uma das maiores do mundo, qual essa relação de grande cidade com a leitura, com os espaços de leitura?

Moro nesta cidade toda minha vida e acompanho muito suas mudanças. Os espaços para a leitura mudaram demais. Novos parques, bibliotecas e livrarias surgiram. Com o crescimento ecônomico o livro entrou mais na pauta de lazer, mas acho que há potencial para um crescimento maior. Por isso decidi participar da ação Livro de Rua e inclusive para que as pessoas percebam que o espaço é você quem cria!

Nas suas opiniões, qual o papel do Livro de Rua na formação dos leitores?

Esta ação leva diversos valores junto com um livro. Primeiro o fato de dar algo que não é um brinde comercial, isso já é bem legal e a pessoa que doa um livro, já se liberta e distribui um potencial gerador de novos leitores! Outra é que a pessoa tem um acesso muito livre, onde pode experimentar o livro por mais tempo e o interesse pode aflorar. Por fim, a perspectiva de incentivar a leitura nos momentos de lazer, formando leitores prazerosos!

– Como os governos e empresários de São Paulo poderiam ajudar na Democratização da Leitura?

O governo desburocratizando ações que possam contribuir com acesso mais liberado ao livro, sendo uma preocupação da minha parte o que ele considera de conteúdo.  Já os empresários, há diversas iniciativas que podem contribuir para ampliar o hábito de leitura, inclusive fornecendo livros aos funcionários e filhos destes. Livros no café, newsletter interna com resumos de livros…várias opções, sendo que pratiquei uma certa vez. Comprei alguns exemplares do livro “Quem mexeu no meu queijo” e dei para minha equipe lêr, visando que isso contribuisse com um ambiente melhor e propiciar uma equipe integrada.

– Quais os próximos passos e metas do Projeto?

Receber doações e ampliar a cobertura da ação. Hoje recebi o retorno do parque Villa Lobos, convidando a conversar sobre uma ação mais ampla.  Há muitas opções que gostaria de explorar com esta iniciativa.

– Mande seu alô para os nossos leitores e participantes.

Ajudem a propagar a idéia. Escrevam para nós que acharam os livros,  contém para os amigos, distribuam seus livros parados em casa, libertem seus livros que podem ajudar muita gente a criar o hábito da leitura e aumentaremos as conversar sobre leituras e tudo aquilo de bom que este hábito pode gerar, além de ampliar os limites de nossa compreensão pessoal sobre muitas coisas!

Abraços

Marcelo Guedes

Vejam aqui a nota que saiu sobre o Lançamento: http://www.ambiente.sp.gov.br/parquevillalobos/ 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: