Livro de Rua no Parque Villa-Lobos

Parque Villa-Lobos realizou no dia 17/04 a primeira edição do Projeto Livro de Rua que distribuiu, pelas áreas de lazer, cerca de 40 publicações dos mais diversos estilos de leitura.  “Dos livros ’libertados’ nenhum retornou à administração e acredito que eles foram para novos destinos além do armário que os acomodava”, comemorou o idealizador do projeto em São Paulo, Marcelo Guedes. 

A boa receptividade da ação foi tanta que o Projeto Livro de Rua entrou na programação permanente do Villa, ou seja, todo último domingo de cada mês os frequentadores do Parque terão oportunidade de encontrar livros e ler enquanto apreciam a natureza.

* É importante lembrar que ao encontrar uma publicação, o usuário poderá levá-la pra casa ou deixá-la em algum lugar do parque para que outras pessoas tenham acesso a ela. Não precisa de cadastro nem autorização para retirar e/ou liberar os livros, o importante é tornar cada vez mais democrática a leitura em espaços públicos. 

Ponto de Coleta

Diante disso, o Parque Villa-Lobos também virou ponto de coleta de livros! É só deixá-lo na administração do parque e ir prestigiar a ação no último domingo do mês!

Seja voluntário na luta pela leitura. Esta campanha precisa da sua ajuda para continuar existindo! DOE LIVROS! Não os deixe empoeirando na estante, faça o conhecimento circular por outras mãos.

Esta ação é uma parceria da Secretaria Estadual do Meio Ambiente de São Paulo com o Instituto Ciclos do Brasil. Mais informações: Parque Villa-Lobos 30230316.  pvl@ambiente.sp.gov.brmarcelo-gpinheiro@hotmail.com 

Anúncios

Fórum Municipal de Leitura

Terça e Quarta feira muito agitada para a política de Leitura na cidade do Rio de Janeiro.

Na terça feira o Projeto Livro de Rua do Instituto Ciclos do Brasil, o Centro Cultural a História que Eu Conto e o Projeto Ler é 10 – Leia Favela, se reuniram para discutir os Movomentos Sociais de Leitura, as Bibliotecas Comunitárias e o Plano Municipal de Leitura de nossa cidade.

Pedro Gerolimich, Binho e Otávio Júnior

Não perdemos tempo e fomos logo pensando numa organização que cumprisse o papel de reunir diferentes experiências e práticas de incentivo a leitura e a Democratização do Acesso ao Livro, surgindo o Fórum Municipal de Leitura ( Nome Provisório ).

Na quarta feira a coordenadora de livro e leitura da secretaria de cultura da cidade do Rio de Janeiro nos recebeu com empolgação.

Lêda Maria disse com entusiasmo: ” Nós queremos as instituições e o Fórum como parceiros em nossa luta de criação do PMLL, vamos fazer juntos uma grande campanha na Bienal do Livro”  

Os organizadores do Fórum se compremeteram a entregar um Projeto Ousado, de uma Grande Campanha de apoio ao PMLL.

Viva a Leitura! Viva o Fórum Municipal de Leitura!

Plano Municipal do Livro e Leitura do Rio de Janeiro

Ontem foi um grande marco para a cidade do Rio de Janeiro, aconteceu o primeiro encontro de criação do Plano Municipal do Livro e Leitura.

O evento aconteceu no auditório Machado de Assis da Fundação Biblioteca Nacional (FBN)

A criação de um Plano Municipal de Livro e Leitura (PMLL) é tarefa fundamental para que nossa cidade possa avançar na concretização de ações que garantam melhoria nos índices de alfabetização e fomento à leitura em seus diferentes suportes, condições essenciais para a inclusão social e o exercício pleno da cidadania. A implementação do PMLL poderá promover um lugar de destaque para a leitura e o livro na agenda política e orçamentária do município, pois será necessário planejar ações e estabelecer metas que garantam sua implementação e sua continuidade como política de Governo.

A reunião contou com representantes do Ministério da Cultura, Secretaria de Estado de Cultura, Secretarias Municipais de Cultura e Educação, além de diversos segmentos do Livro e Leitura em nossa cidade.

Os Movimentos sociais não vacilaram e já sairam na frente, marcando um encontro no dia 24/05/2011 no Café do Odeon, onde discutiremos uma pauta conjunta dos movimentos de Democratização da Leitura.

O Movimento foi combinado pelos Projetos Livro de Rua, Ler é 10, A História que Eu Conto e Baixada Literária, com a intenção de convidar outros a se juntarem.

Pedro Gerolimich, coordenador do Projeto Livro de Rua comemorou a atividade: ” Sem dúvida alguma, o encontro é um grande passo para a criação do PMLL, isso vai colocar o Rio de Janeiro em evidência e vamos nos tornar uma cidade de leitores e leitoras, governo, empresários e sociedade, unidos pelo Livro e  Leitura”

O Próximo encontro sobre o PMLL ficou acertado para o dia 30/06/2011, necessitando de confirmação de local e hora.

Viva a Leitura!!!

Domingo é dia de Festa Literária de Santa Tereza

Neste fim de semana (14 e 15 de maio), a Festa Literária de Santa Teresa (FLIST) vai movimentar o histórico bairro carioca e o Livro de Rua não poderia ficar de fora. Voluntários do Projeto estarão lá, no domingo (15), de 11h às 15h, com as tradicionais libertações, distribuição gratuita de livros, no Parque das Ruínas.

A programação, aberta ao público, vai de lançamentos e bate-papos com autores, a debates, leituras, exposições, oficinas, música e teatro. O principal homenageado desta terceira edição da FLIST é o escritor mineiro Bartolomeu Campos de Queirós, com a obra Vermelho Amargo, sábado (14), às 15h.

 No domingo (15), às 11h, a atriz Letícia Sabatella promove sessão de leitura ao vivo e bate-papo. Estes dois encontros acontecem também no Parque das Ruínas. Mas as múltiplas atividades se estendem a outros locais conhecidos no bairro, como Casa Pascoal Carlos Magno, Casa Amarela e Cine Santa.

Ainda no domingo, de 10h as 11h, Otávio Jr, autor e promotor de leitura no Complexo do Alemão e Penha, estarálançando e comentando com a plateia O Livreiro do Alemão, onde conta sua experiência com adolescentes e adultos.

O evento, promovido pelo Centro Educacional Anísio Teixeira – CEAT, em parceira com diversas instituições e Secretaria Municipal de Cultura, tem por objetivo levar a leitura literária para além dos muros da escola, como instrumento de conquista da cidadania. A FLIST teve sua origem no pátio interno da escola e, aos poucos, foi se ampliando para o bairro, atraindo novos parceiros e leitores para a discussão da literatura.

Confira a programação completa no site http://www.flist.org.br. O Parque das Ruínas fica na Rua Murtinho Nobre, 169. O evento vai das 8h às 19h.

DA UFRJ À ILHA DE PAQUETÁ

Um encontro casual no Centro do Rio seguido de um bate-papo no campus da Praia Vermelha. Foi o suficiente para o jornalista Vitor Iorio, professor de Comunicação e Cultura da UFRJ, ficar empolgado com o Projeto Livro de Rua, que distribui livros em locais públicos, especialmente em regiões carentes, onde o acesso a leitura é muito pequeno e, em alguns casos, pode-se dizer, até inexistente.

Afinal, promover a educação está na base do seu trabalho, tanto na Universidade como no programa Quarta às Quatro, da Fundação Biblioteca Nacional, do qual é idealizador e curador há cinco anos. Foi nele que sete mil estudantes de 67 escolas da rede estadual de ensino puderam, nos últimos dois anos, ter contato direto com importantes nomes da cultura e da educação no país.

De Roberto Menescal e seu violão, empolgando a plateia com histórias e canções da Bossa Nova, a Rui Castro, comentando sua biografia de Carmen Miranda, a novelista Gloria Perez e a escritora Thalita Rebouças, entre tantos outros artistas, filósofos, jornalistas e intelectuais, participaram do programa, que deve ser reeditado este ano.

                                                  A mobilização de público, o conteúdo dos debates e o alto nível dos palestrantes motivaram o Ministério da Cultura a convidar o Quarta ás Quatro a integrar o Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL), que visa a reunir ações de incentivo ao livro e à leitura nas suas diversas formas e abordagens. O PNLL, aliás, é um dos focos do Livro de Rua, que trabalha para que o Plano seja desdobrado no Rio de Janeiro.

No bate-papo com o presidente do Instituto Ciclos do Brasil, Pedro Gerolimich, e a jornalista e assessora Yolanda Stein, Vitor Iorio manifestou entusiasmo com o Livro de Rua, que como o Quarta às Quatro tem por objetivo democratizar o acesso a educação e a cultura no país.

O encontro já rendeu frutos: iremos juntos à Ilha de Paquetá fazer uma libertação de livros para a população local.

%d blogueiros gostam disto: