Rocinha em festa literária

Não poderia ter sido melhor. A libertação de 1.000 livros na Rocinha, no último sábado (20 de agosto), pelo Projeto Livro de Rua, agradou a todos. A partir das 10h, pessoas que passavam pela Praça da Roupa Suja paravam para ver, folhear e escolher o seu para ler em casa. E, depois, é claro, passar adiante. Havia títulos para todos os gostos e idades, tudo proveniente de doações por parte de moradores da Barra Tijuca e São Conrado, principalmente.

            As pessoas chegavam afoitas para pegar um ou mais livros, pediam ajuda na escolha e debatiam entre si. De literatura de Eça de Queiroz, Machado de Assis, Jorge Amado, Josué Montelo, José Saramago,Thalita Rebouças, Lia Luft a poesias de Clarice Lispector, Cecília Meireles e Ferreira Gullar, passando por tratados de política, ciências e economia, não sobrou nada.

            O toque especial foi dado pelas crianças que, sozinhas ou acompanhadas pelos pais, fizeram do evento uma verdadeira festa, com imagens captadas pelas câmeras da TV Brasil (Repórter Brasil das 21h do dia 20/8). Como o número de livros infantis e juvenis era grande, elas, na dúvida do que escolher, pediam para levar mais de um. Para si, para os irmãos ou para os coleguinhas da escola.

           

 Para admiração dos que estavam em volta, um menino com a camiseta do Pequeno Príncipe encontrou no meio dos livros…O Pequeno Príncipe, sua paixão infantil. Pegou o livro e beijou, numa cena emocionante clicada pelo fotógrafo Junior Paiva, que registrou com talento todo o evento a pedido da Amasco – Associação dos Moradores e Amigos de São Conrado , parceira do Livro de Rua na atividade da Rocinha.

 

            Não faltou nada: o pessoal do Fórum de Cultura da Rocinha (Firmino, Ronaldo e Rita) deu todo o apoio, assim como o Administrador Regional, Jorge Collaro. Marlene Parente, diretora e representando da Amasco, deu sua incansável colaboração durante a organização e no dia do evento.

           

 Alex Sorriso, presidente da Associação de Quatro Bicas, Vila Cruzeiro, parceiro fiel, foi o mestre de cerimônias. Pelo microfone, cedido pelo atuante grupo da Rocinha, Mulheres da Paz, ele conclamava o público e anunciava com sua vitalidade nata o objetivo do projeto, ligado ao Instituto Ciclos do Brasil: democratizar a leitura. Lembrando sempre o que já se tornou slogan do Livro de Rua: leia e passe adiante.

            Em meio à aglomeração de pessoas, o Grupo Chega Aí, do Morro da Alegria, aproveitou para distribuir camisinhas e material relacionado à saúde.

            Só resta enaltecer os voluntários presentes por seu trabalho e dedicação: Pedro, Yolanda, Thiago, Luzia, Romeica, Paula Andrea, Vilda, Jonatan, Gilda e Luca.

            Junte-se a nós, seja voluntário e doe livros para o projeto. Eles serão muito bem aproveitados.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: