Para que servem os livros?

Livro de Rua realizou uma Libertação de Livros no Forte de Copacabana, na última quarta-feira, no Rio de Janeiro, durante atividade literária que reuniu jovens do Ensino Fundamental de escolas municipais para ouvir leituras e conversar com escritores. A ação foi promovida pelo Polo Conexão Leitura, rede formada por bibliotecas comunitárias que desenvolvem projetos de incentivo à formação de leitores e à promoção de leitura literária.

Se livros servem para serem lidos, a proposta é incentivar o leitor a não deixar o livro preso nas estantes, mas tornar maior o alcance ao leitor. “Livros não lidos não servem para nada”, enfatizou o coordenador do Livro de Rua, Pedro Gerolimich, durante a Libertação de Livros. “Leia e passe o livro adiante! Para alguém da família, para o vizinho, para o amigo, ou para alguém que você nem conhece”, disse Pedro lembrando que sempre que alguém escreve, é porque quer ser lido, e que até mesmo uma postagem em uma rede social gera essa expectativa. “Escritores precisam ser lidos, eles não querem que seus livros fiquem parados nas estantes!”Image 

 

A escritora Ruth Leite (abaixo) leu seu conto Jussara (IBEP, 2013), também ilustrado por ela.  Image

 

Tairini Santos (de saia de filó),  voluntária  do Livro de Rua, mediou a leitura do poema E com quantos paus se faz uma canoa? , de Sol Mendonça e ilustrado por Carla Pilla (Gryphus, 2011). Depois, a autora conversou com os jovens sobre o processo e o prazer da escrita. (S.M.)

Image

Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra a Mulher


A Leitora*

Quando Lucia Peláez era pequena, leu um romance escondida. Leu aos pedaços, noite após noite, embaixo do travesseiro. Lucia tinha roubado o romance da biblioteca de cedro onde seu tio guardava os livros preferidos.

Muito caminhou Lucia, enquanto passavam-se os anos. Na busca de fantasmas caminhou pelos rochedos sobre rio Antióquia, e na busca de gente caminhou pelas ruas das cidades violentas.

Muito caminhou Lucia, e ao longo de seu caminhar ia sempre acompanhada pelos ecos daquelas vozes distantes que ela tinha escutado, com seus olhos, na infância.

Lucia não tornou a ler aquele livro. Não o reconheceria mais. O livro cresceu tanto dentro dela que agora é outro, agora é dela.

*(Texto do escritor uruguaio Eduardo Galeano, que, em mais de uma dezena de livros, nos encantou, sobretudo, com histórias que abordam a riqueza cultural do continente americano, seu sofrimento, seus heróis, conquistas e derrotas. A Leitora foi retirado do livro Mulheres, uma coletânea de textos do autor de As veias abertas da América Latina, o Livro dos Abraços, Palavras Andantes e Vagamundo, entre outros, que homenageia as mulheres latino-americanas. Vale a pena a leitura do livro todo!

O Projeto Livro de Rua publica este texto hoje, 25 de novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra a Mulher. A data foi proposta pelo movimento latino-americano de mulheres para homenagear Patria, Minerva e Maria Mirabal, conhecidas como Las Mariposas em suas atividades políticas. As três irmãs foram assassinadas pela ditadura de Rafael Trujillo, na República Dominicana, em 1960.)

Outras datas importantes que tratam da violência contra a mulher:

8 de março – Dia Internacional da Mulher

Declarado durante a 2ª Conferência Internacional de Mulheres Socialistas na Dinamarca/Copenhagen, em 1910, o 8 de março foi proclamado o Dia Internacional da Mulher em uma resolução que contou com a participação de representantes de 17 países. É uma data de mobilização e luta pelos direitos das mulheres.

30 de abril – Dia Nacional da Mulher

Instituído pela Lei nº 6.971/1980, o Dia Nacional da Mulher homenageia Jerônima Mesquita, uma das primeiras líderes do movimento feminista brasileiro. Jerônima Mesquita fundou o Movimento Bandeirante (que tinha como objetivo a inserção da mulher na sociedade) e foi uma das criadoras do Conselho Nacional das Mulheres.

28 de maio – Dia Internacional de Ação pela Saúde da Mulher

Dia Internacional de Ação Pela Saúde da Mulher foi definido no IV Encontro Internacional Mulher e Saúde que ocorreu em 1984, na Holanda, durante o Tribunal Internacional de Denúncia e Violação dos Direitos Reprodutivos. A partir dessa data, o tema ganhou maior interesse e no V Encontro Internacional Mulher e Saúde, realizado em São José da Costa Rica, a RSMLAC (Red de Salud de las Mujeres Latinoamericanas y del Caribe) propôs que, a cada ano, no dia 28 de maio, uma temática nortearia ações políticas que visassem prevenir mortes maternas evitáveis.

25 de julho – Dia da Mulher Negra da América Latina e do Caribe

Em 25 de julho de 1992, participantes de 70 países presentes no último dia do 1º Encontro de Mulheres Negras da América Latina e do Caribe, em Santo Domingo, na República Dominicana, escolheram a data para celebrar e refletir sobre o papel das mulheres negras na região.

6 de setembro  – Dia Internacional pela Ação pela Igualdade da Mulher

23 de setembro – Dia Internacional contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças

A Conferência Mundial de Coligação contra o Tráfico de Mulheres que aconteceu em Dhaka, Bangladesh, em janeiro de 1999, escolheu essa data como Dia Internacional contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Meninas e Meninos, para lembrar primeira lei argentina, de nº 9.143, que foi promulgada em 23 de setembro de 1913 e ficou conhecida pelo nome de Lei Palacios. Foi a primeira legislação com essas características no mundo. A lei punia com pena de 3 a 6 anos de prisão quem promovesse ou facilitasse a prostituição ou corrupção de menores de idade.

10 de outubro – Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher

A data foi instituída em 1980, a partir de um movimento que começou em São Paulo, quando mulheres reuniram-se nas escadarias do Teatro Municipal para protestar contra o aumento nos crimes contra mulheres em todo o país.

20 de novembro – Dia Nacional da Consciência Negra

Essa data lembra não apenas a importância da presença dos afrodescendentes e de sua contribuição para a construção do Brasil, mas também a tripla discriminação sofrida pelas mulheres negras, que se baseia em gênero, raça e classe social.

25 de novembro – Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher

10 de outubro – Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher

6 de dezembro –  Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres

Semana Paixão de Ler

Olá Amig@s!

Novembro, doce novembro chegou e com ele um dos maiores eventos literários de nossa cidade, semana Paixão de Ler, realizada pela Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro com diversos parceiros, entre eles é claro o maior projeto de Democratização da Leitura do Brasil, o Livro de Rua.

Libertaremos centenas de Livros em dois bairros muito distintos, Anchieta no subúrbio carioca e Copacabana num dos mais belos cartões postais de nosso país.

 Em Anchieta será às 9h na Praça Granito durante o Projeto Leitura na Praça Granito.

Em Copacabana vai ser domingo à partir de 10h ao lado da estátua de Carlos Drummond o cartão postal mais literário de nossa cidade!!

Um grande Abraço e boa leitura!!

%d blogueiros gostam disto: