Dia Internacional da Mulher

 

Hoje é Dia Internacional das Mulheres.

Um dia para refletirmos sobre o papel da mulher e sua importância na sociedade.

No Brasil, segundo dados do censo do IBGE (2000), as famílias chefiadas por mulheres representam 24,9% dos domicílios brasileiros. Segundo Berquó (2001), as chefias femininas crescem no país como um todo, é um fenômeno tipicamente urbano, a maioria é do tipo monoparental*, destacam-se as mulheres mais jovens, separadas, negras, mais pobres e com baixo grau de escolaridade. A grande concentração da chefia feminina encontra-se nas camadas pobres (Castro, 1990, 1982; Goldani, 1994), visto que a própria condição de pobreza, e muitas vezes miséria, conduz as mulheres ao mercado de trabalho em situações que vão desde o compartilhar a manutenção da casa com o companheiro, até responsabilizar-se sozinha pelo domicilio.

As mulheres das camadas mais pobres, além de possuírem um baixo nível educacional e de qualificação, estão inseridas em grande parte no mercado informal, em péssimas condições de trabalho e salários. Já as mulheres provenientes das camadas médias e altas são geralmente melhor instruídas e qualificadas para enfrentar as novas exigências do mercado.

Elas colocam-se em bons postos de trabalhos, recebem melhores salários, e o ingresso se dá muito mais por uma questão de independência, autonomia ou poder de consumo, do que por questões de pobreza e sobrevivência.

O Projeto Livro de Rua acredita que a educação de qualidade permite à pessoa alcançar sua autonomia, transpondo barreiras impostas pela baixa escolaridade.

Mais do que isso. Quem lê torna-se capaz de ler o mundo, de interferir no mundo. Torna-se dono/ dona de seu destino, de suas escolhas.

Todo dia é dia para celebrarmos às Mulheres.

 

 

O Projeto Livro de Rua oferece um presente às mulheres em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, sábado dia 10/03:  Libertação de Livros em Guadalupe, bairro do subúrbio carioca.

 

Será na rua Damasqueira, próximo à Lona Cultural.

Quem passar pelo local, a partir de 10h, poderá levar um livro para ler em casa. Serão distribuídos gratuitamente cerca de 500 títulos, todos de autoria feminina, para adultos, jovens e crianças, de autoras novas e consagradas.

 

Como já é praxe em nossas atividades, os livros são de graça e não há qualquer burocracia. Apenas um compromisso: terminada a leitura, passá-los adiante para um conhecido, amigo ou parente, ou deixá-los em um local público, como bar, padaria, farmácia etc.

 

Pegue seu livro!

Entre nessa onda você também, participe e faça sua doação.

O Projeto Livro de Rua existe por causa dos doadores e doadoras.

 

 

História do dia 8 de março

No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o dia 8 de março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem as mulheres que morreram. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU.

Objetivo da Data

Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

 

Conquistas das Mulheres Brasileiras 

No dia 24 de fevereiro de 1932 foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas.

No dia 31 de outubro de 2010, com cerca de cinquenta e cinco milhões de votos o Brasil escolhe Dilma Rousseff a primeira mulher presidente do Brasil.

 

 

 

 

 

* Família monoparental: http://pt.wikipedia.org/wiki/Fam%C3%ADlia_monoparental
Fontes:
http://www.abep.nepo.unicamp.br/docs/anais/pdf/2002/GT_Gen_ST38_Mendes_texto.pdf
www.uol.com.br/eleicoes
www.suapesquisa.com
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fam%C3%ADlia_monoparental

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: